Salvando o bolão

Comentarios
Enfim a Arena da Baixada viu seus primeiros gols na Copa do Mundo de 2014. Depois de um Irã e Nigéria sofrível, Honduras e Equador fizeram um jogo aberto, pouco técnico, mas ainda assim melhor que o primeiro embate do mundial na capital paranaense. Honduras voltou a marcar em Copas do Mundo depois de 32 anos.

Coube mais uma vez a Enner Valencia (não o Valencia do Manchester United) a tarefa de balançar as redes para os sul americanos. A propósito, o Valencia famoso, principal esperança dos equatorianos no torneio, fez duas aparições apagadas na vigésima edição da Copa do Mundo. Monteiro, Ayoví e o próprio Enner tem sido os destaques ofensivos do Equador.

Honduras demonstrou mais uma vez ser fraca tecnicamente. Enfrentou uma defesa vulnerável e fez gol apenas em jogada de ligação direta, Beckeles estorou pra frente, a zaga falhou, e a bola sobrou para Costly abrir o placar aos 30 minutos da primeira etapa. Num dia em que a Costa Rica havia surpreendido a tetracampeã Itália, Honduras ia estragando bolões mundo afora.

Os equatorianos chegaram ao empate três minutos depois. O destaque do ataque sul americano aproveitou chute de Paredes que desviou em Claros e completou para as redes. A virada parecia um replay do gol equatoriano contra a Suíça. Do lado esquerdo do ataque Ayoví cobrou falta precisa na cabeça de Enner Valencia, o único equatoriano que balançou as redes até agora no mundial, 2 a 1 aos 19 do segundo tempo. 

Daí em diante, Honduras e Equador seguiram a peleia num ritmo de quem sabia que dependia do resultado para tentar melhor sorte. Com mais vontade do que técnica, as duas seleções não chegaram a fazer blitz ofensivas, mas Domínguez, goleiro equatoriano, fez ao menos 3 defesas dignas de nota durante o jogo. Honduras tentava, e apesar do fraco sistema defensivo equatoriano, não conseguia igualar o placar.

No fim, o Equador conseguiu segurar a virada e deu a lógica. Mesmo sem demonstrar grande técnica, os valores individuais da seleção equatoriana fizeram a diferença. Praticamente eliminados, os hondurenhos agora enfrentarão a Suíça, que depende do resultado para avançar às oitavas. O Equador de Enner Valencia tem parada dura contra os franceses para decidir o futuro na Copa.

Enner Valencia comemora e Equador segue vivo. Ele é o único equatoriano a balançar as redes no Brasil. Foto: AFP

#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.