Equador dá adeus a "Copa América 2014"

Comentarios
Texto de: Enrique Bayer

Se no "grupo da morte" os classificados falam espanhol, no grupo E da Copa do Mundo de 2014 o francês é o idioma. França e Suíça, as vizinhas europeias favoritas nas previsões de especialistas mundo afora avançaram para as oitavas de finais do torneio. Os Bleus pegam a Nigéria. Shaqiri e sua trupe tem missão complicada contra a Argentina de Messi nas oitavas. O Equador é a única das seis seleções sul-americanas a não atingir as oitavas.

Os franceses, que entraram na rodada já classificados, não repetiram o bom futebol das apresentações anteriores. Justifica-se. Seis dos titulares não atuaram, entre eles nomes importantes como Evra e Valbuena, o que diminuiu a intensidade ofensiva dos Bleus. Jogadores que tinham sequer entrado em campo até agora ou participado pouco como Schnederlin e Digne foram titulares na partida de hoje.

O Equador por sua vez precisava vencer e torcer por um tropeço ou vitória magra da Suíça, que não aconteceu. Precisando propor o jogo, os sul-americanos tiveram dificuldades e não puderam explorar os contra-ataques, principal arma do time nos embates contra Honduras e Suíça. A França não pressionava a ponto de deixar a defesa desguarnecida.

Apesar de administrar o placar, os franceses - olho neles - fizeram Domínguez trabalhar. Com quatorze finalizações em direção ao gol, o goleiro equatoriano, que impediu que o placar saísse do zero, foi o nome da partida, realizando boas defesas, como no chute de Rémy, já no final do jogo. A zaga equatoriana, composta pelo questionado Erazo (Flamengo) também teve atuação sólida e papel importante no empate.

Aos cinco minutos do segundo tempo veio o lance que pode ter mudado o destino do Equador. Antonio Valencia, que atua pelo Manchester United, foi expulso depois de entrada no tornozelo de Digne. Cartão rigoroso e os sul-americanos sem seu principal jogador. Apesar de jogar com dez, o Equador continuou se defendendo bem e criou oportunidades de gol na segunda metade da etapa complementar, em contra-ataques oferecidos pela França, que buscava o gol, mas não com muito afinco. Os times terminaram com um zero a zero movimentado. A França promete ser uma adversária dura, o Equador volta pra casa.


Domínguez segura empate, que foi insuficiente para o Equador. Foto: UOL
Enquanto isso em Manaus... Shaqiri, jogador do Bayern de Munique e principal esperança de bom futebol para os suíços resolveu acordar para a Copa. O meia de 22 anos fez 3 gols e resolveu a parada. A seleção suíça jogou no 4-5-1 povoando o meio-campo e se aproveitando das duas linhas defensivas de 4 jogadores armadas pelo técnico hondurenho, deu certo.

Já aos 3 minutos os suíços levaram perigo chegando pelo lado esquerdo. Dois minutos depois, pelo direito, Shaqiri cortou pro meio e fez um golaço de fora da área, dos mais bonitos da Copa até agora. O 1 a 0 anunciava o domínio e superioridade suíços. Aos 30, em contra-ataque rápido Shaqiri apareceu pelo meio para encontrar as redes pela segunda vez depois de ótima enfiada de bola de Drmic, 2 a 0.

Bem organizada ao contrário de Honduras, a seleção suíça continuava criando chances, aos 37 em cobrança rápida de falta Inler achou Xhaka na área, que por pouco não liquidou a partida. Aos 25 do segundo tempo a parceria Drmic-Shaqiri funcionaria novamente. Em outro contra-ataque Drmic ganhou o lance na ponta esquerda e achou o jovem meia do Bayern novamente pelo meio. O astro suíço teve apenas o trabalho de empurrar para as redes e comemorar a classificação, 3 a 0.

Com boa organização tática e bons valores individuais, os suíços podem dar trabalho pros hermanos nas oitavas. A seleção de Sabella não tem lá o melhor sistema defensivo dessa Copa do Mundo e pode ter uma surpresa pelo caminho, Shaqiri que o diga.

Shaqiri acorda, faz três, e classifica Suíça. Foto: Reuters



#Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.